Sou vegetariana por amor aos animais

Sou vegetariana por amor aos animais
COLHER OU MATAR, a escolha é sua
"Se os matadouros tivessem paredes de vidro
todos seriam vegetarianos."

(Paul e Linda Mc Cartney)



Seguidores

sábado, 9 de março de 2013

Estudos sugerem que Crustáceos, como caranguejos e lagostas, sentem dor!


17/01/2013 07h43 - Atualizado em 17/01/2013 14h00

Teste em aquário com choque elétrico demonstrou reação de caranguejos.
Pratos da culinária mergulham animais em água fervente antes de servi-los.

Da France Presse
75 comentários
Os caranguejos e lagostas quando mergulhados em água fervente não têm a capacidade de implorar por suas vidas ou gritar, mas conseguem sentir dor, afirmaram cientistas em um estudo publicado no periódico "Journal of Experimental Biology".
"Bilhões de crustáceos são capturados ou criados para atender à demanda da indústria alimentícia. Em comparação com os mamíferos, eles não gozam de quase nenhuma proteção sob a única presunção de que não podem sentir dor. Nossas pesquisas sugerem o contrário", resumiu Bob Elwood, biólogo da Universidade Queen's, em Belfast, na Irlanda do Norte.
Sua última experiência demonstrou como o caranguejo-verde (Carcinus maenas) evitou entrar em um abrigo escuro -- considerado habitat natural da espécie -- para evitar um choque elétrico.
Tal fato foi constatado ao colocar 90 exemplares deste caranguejo, espécie comum das praias europeias, mergulhados em um aquário com dois abrigos escuros, onde alguns entre eles sofreram um primeiro choque.
Mais tarde, quando os crustáceos foram colocados novamente no aquário, a maioria deles retornou espontaneamente ao buraco escuro que eles tinham escolhido previamente como domicílio. As vítimas desafortunadas da primeira experiência levaram um segundo choque.
Segundo estudo, caranguejos podem sentir dor quando mergulhados em água fervente (Foto: Arquivo//Carlos Barria/Reuters)Segundo estudo, crustáceos, como os caranguejos, podem sentir dor quando mergulhados em água fervente (Foto: Arquivo//Carlos Barria/Reuters)
Assim que foram introduzidos no aquário pela terceira vez, a imensa maioria dos caranguejos previamente eletrocutados desistiram do local onde levaram o choque, enquanto que os outros animais se reinstalaram tranquilamente em seu abrigo inicial, revelou o estudo.
"Os caranguejos aprenderam a evitar o abrigo onde levaram choques. Eles se mostraram dispostos a renunciar a seu refúgio para evitar a fonte da dor presumida", explicou Bob Elwood.
"Esta experiência foi concebida cuidadosamente para permitir distinguir entre a dor e um fenômeno de reflexo defensivo, a nocicepção (conjunto das percepções de dor que somos capazes de distinguir) que proporciona uma proteção instantânea, sem modificar o comportamento de longo prazo", destacou o cientista.
"Do ponto de vista filosófico, é impossível demonstrar de forma absoluta que um animal sente dor", admitiu. No entanto, prosseguiu, todos os critérios coerentes com a chamada dor foram reunidos nas experiências.

Para ler mais notícias do Globo Natureza, clique em g1.globo.com/natureza. Siga também o Globo Natureza no Twitter.
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário