Sou vegetariana por amor aos animais

Sou vegetariana por amor aos animais
COLHER OU MATAR, a escolha é sua
"Se os matadouros tivessem paredes de vidro
todos seriam vegetarianos."

(Paul e Linda Mc Cartney)



Seguidores

terça-feira, 29 de março de 2011

Qual a finalidade de uma festa de Rodeio?

Ivana Maria França de Negri O peão entra na arena todo paramentado, chapéu de couro, esporas afiadas nas botas. Ajoelha-se, faz o sinal da cruz, e reza compenetrado à Nossa Senhora da Aparecida, escolhida para padroeira. A galera vibra. Mas será que ela, a santa, aprova as atrocidades cometidas contra as inocentes criaturas? Diversão? Heroísmo?Sadismo? Para provar a superioridade dos racionais (?) sobre os irracionais? Demonstração de força e coragem? Sinceramente, não compreendo essa festa abominável, onde o homem, mais uma vez, desprovido de sensibilidade e compaixão, quer demonstrar que é o rei do planeta e subjuga os animais em provas, que não provam nada, a não ser a ignorância e insignificância da raça humana que não respeita nem o bicho e nem o seu semelhante. Os shows que acompanham esse tipo de evento perturbam a vizinhança noite adentro, fora o foguetório. E a população que mora nas redondezas, fica sem sossego durante os dias da festa. Quem se importa com eles e com seu direito de dormir em paz? A indústria do rodeio e seus patrocinadores invadem a mídia, a imprensa escrita e falada, e vendem muito bem o seu peixe. Mais uma vez o povo vai na onda e paga pra ver. E tome cerveja, esporas, sedéns, laços, foguetório e cantoria. Até novela incentiva essa sádica “diversão”. A mais desumana das provas é a dos bezerros. Os filhotes entram em cena em desabalada corrida, pois são espetados com lanças antes de sair dos bretes. Depois são perseguidos, derrubados, arrastados e amarrados. Ninguém se importa se seus ossos são quebrados, se seus olhos são perfurados, se órgãos internos são rompidos. O importante é o espetáculo, a prova de que o peão é “macho”. Pobres criaturas indefesas... “São apenas animais!”, dirão alguns. Como se animais também não sofressem, não sentissem desespero, angústia e dor. Tudo isso a troco de quê? Claro, das vultosas somas que se arrecadam nessa macabra diversão, a grana correndo solta para os bolsos dos organizadores. É muita mesquinhez se comprazer com a dor alheia, ainda que seja de um irracional. Maus tratos são encobertos. Creio que poucos veterinários ousariam erguer a voz para dizer que os animais estão sendo maltratados. Têm medo de represálias. Os organizadores costumam dizer que “sedém não dói, apenas faz cócegas, por isso o touro corcoveia e pula como um alucinado...”. E as pessoas acreditam. Existe uma lei que incrimina esse tipo de crueldade, mas será que alguém, verdadeiramente humano e sensível, teria coragem para denunciar? Duvido. Todos têm medo e se acovardam. Sei que palavras de nada vão adiantar. Mas é preciso fazer eclodir esse apelo preso em nossa garganta, para dar voz a quem não tem e não pode se defender. Críticas, chacotas e acusações surgirão, como sempre acontece. Tentarão convencer a opinião pública que os animais não sofrem maus-tratos. Muitos se acovardarão e se fecharão em copas. Não dói na sua carne, não mexe no seu bolso, então que fique como está. São apenas animais mesmo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário