Sou vegetariana por amor aos animais

Sou vegetariana por amor aos animais
COLHER OU MATAR, a escolha é sua
"Se os matadouros tivessem paredes de vidro
todos seriam vegetarianos."

(Paul e Linda Mc Cartney)



Seguidores

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Vitória para os gansos!


A Suprema Corte recusou-se a retirar a proibição da produção de Foie Gras na Califórnia, rejeitando uma petição de restaurantes e produtores.
Foie gras permanece banido! Chega de crueldade e sofrimento

Leia mais no Facebook

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

“O Cerrado está extinto e isso leva ao fim dos rios e dos reservatórios de água”

Fonte: Jornal Opção
Uma das maiores autoridades sobre o tema, professor da PUC Goiás diz que destruição 
do bioma é irreversível e que isso compromete o abastecimento potável em todo o País


Em que o Cerrado é tão precioso?
De todas as formas de vegetação que existem, o Cerrado é a que mais limpa a atmosfera. Isso ocorre porque ele se alimenta basicamente do gás carbônico que está no ar, porque seu solo é oligotrófico.
Diz-se que o Cerrado é o contrário da Amazônia: uma floresta invertida, em confirmação à definição que o sr. deu sobre o fato de dois terços de cada planta do Cerrado estarem debaixo da terra. Ou seja, a destruição do Cerrado é muito mais séria do que alcança a nossa visão com o avanço da fronteira agrícola. É uma devastação muito maior, porque também ocorre longe dos olhos, subterrânea.
Leia mais aqui

sábado, 18 de outubro de 2014

Queijos veganos! Sem sofrimento animal!


Realidade: deliciosos queijos veganos livres de crueldade em qualquer cidade do Brasil

A empresa norte-americana Tofutti, famosa por seus queijos e sorvetes veganos, lançou oficialmente nesta segunda-feira (9) sua loja virtual brasileira. Toda a linha de queijos pode ser enviada para qualquer lugar do país com embalagens especiais e via SEDEX.
Os sorvetes da marca não fazem parte do mix de produtos à venda na loja virtual porque são congelados. Os queijos, no entanto, são apenas resfriados e podem viajar pelo Correio sem problemas.
A presença no Brasil de uma marca de produtos veganos tão grande como a Tofutti deixa claro que o mercado deste tipo de produto está crescendo bastante. Isso significa que mais e mais brasileiros estão optando por produtos que não agridem os animais.
Muitas pessoas afirmam que ainda não são veganas por conta da falta de produtos específicos livres de ingredientes de origem animal no mercado brasileiro. Se você está mudando sua alimentação e hábitos de consumo pelos animais, a “falta” de produtos na hora e no lugar que você precisa não deveria servir de desculpa (e agora realmente não tem mais desculpa mesmo!). É sempre bom ter produtos veganos de qualidade na geladeira para ocasiões especiais ou apenas para um lanche durante a tarde.
A loja virtual da Tofutti Brasil pode ser acessada no endereço www.tofutti.com.br


Fonte: Vista-se

sábado, 11 de outubro de 2014

Dia das crianças /filhotes

Neste dia das crianças, reflita sobre os filhotes que passam sua curta  vida em grande sofrimento apenas para que você tenha uma carne tenra e rosada em seu prato.
Vale a pena delegar tanto sofrimento por um pedaço de carne?
Criação do baby beef ou vitela
Separados da mãe ao nascer
Longe da luz do sol...
Ficam tão frágeis e anêmicos que, aos 4 meses, vão para o abate carregados
Impedidos de se locomover para não criar músculos



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Hambúrgueres com hidróxido de amônia


O Chef Jamie Oliver acaba de ganhar uma batalha contra a maior cadeia de junk food do mundo. Depois que Oliver mostrou como fazer hambúrgueres, o McDonald, a franquia anunciou que vai alterar a receita.

De acordo com Oliver, as peças de carne gordas são "lavadas" com hidróxido de amónia e, em seguida, utilizada na fabricação do "bolo" de carne para encher o hambúrguer. Antes deste processo, de acordo com o apresentador, e a carne era imprópria para o consumo humano.

Oliver, Chef ativista radical, que tenha assumido uma guerra contra a indústria de alimentos, diz: estamos falando de carne que tinha sido vendida como alimento para cães e após este processo serve para os seres humanos. Para além da qualidade da carne, o hidróxido de amónia é prejudicial para a saúde. Oliver diz o seguinte: "O Processo de Merda Rosa".

O que o homem no seu perfeito juízo iria colocar um pedaço de carne embebido em hidróxido de amônio na boca de uma criança?
Em outra de suas iniciativas são Oliver demonstrou como nuggets de frango: Depois de selecionar os "melhores momentos", o resto: a gordura, pele, cartilagem, órgãos, ossos, cabeça, pernas, são submetidos a separação mecânica liquefeitos, é o eufemismo usado por engenheiros de alimentos, e, em seguida, que a pasta de sangue-de-rosa é desodorada, descoloridos reodorizada e repintado, capeadas de marshmallow farináceos e frito, este é geralmente reboiler em óleos parcialmente hidrogenados, ou seja tóxico.

Nos EUA, Burger King e Taco Bell já abandonaram o uso de amônia em seus produtos. A indústria alimentar utiliza hidróxido de amónia como um agente anti-microbiano, o que permitiu McDonald para usar nos seus hambúrgueres de carne de entrada, impróprios para consumo humano.

Mas irritante ainda é a situação em que essas substâncias à base de hidróxido de amônio são considerados "componentes legítimos procedimentos de produção" na indústria de alimentos, com as bênçãos das autoridades de saúde em todo o mundo. Portanto, o consumidor não pode nunca ser descoberto que os produtos químicos que põem em nossa comida.

sábado, 4 de outubro de 2014

Se os animais pudessem falar...



Carta aberta ao Homem
   Ivana Maria França de Negri

Não temos voz, não temos vez, a nós só resta aceitar calados nossa sina milenar.
No dia de hoje, uma boa fada tornou real nosso desejo de obtermos, mesmo que por breve momento, o dom humano de falar e de nos expressarmos através da escrita, para contar o que vai na nossa alma – temos alma, sim, um pouco mais rudimentar, mas temos!
Tudo começou como descrevem as Sagradas Escrituras. No princípio Deus criou o céu, a terra, a luz, os astros, as águas, toda exuberância do verde, e viu que tudo era bom. Depois, colocou nesse paraíso encantado, animais e humanos, moldando estes últimos à sua imagem e semelhança, ordenando que vivêssemos em harmonia. Somos, humanos e animais, feitos igualmente de carne, ossos, sangue, temos um coração que pulsa na mesma cadência, um corpo que sente dores e um cérebro pensante.
Com o passar do tempo, vocês, homens, foram dominando as outras criaturas com as quais dividem o planeta, declarando-se os verdadeiros donos de tudo. Para provar sua superioridade, passaram a se alimentar de nossa carne, beber o leite destinado aos nossos filhos, a arrancar nossa pele, ossos, couro, dentes e também obrigou-nos a usar nossa força natural para trabalhar para vocês. Nunca nos rebelamos, ao contrario, aceitamos esse destino cruel em troca de alimento e da sua companhia.
Só que ainda não era o bastante. Vocês passaram a nos escravizar, maltratar e a utilizar nossos corpos em macabros rituais e em dolorosas experiências nos seus laboratórios, em nome da ciência. Um instinto sádico aflorou na raça humana, que passou a aprisionar em gaiolas as aves canoras e elas nunca mais puderam usar as asas. Inventaram torturas o que denominaram de esporte e diversão, mas para nós é motivo de sofrimento e dor: caça, pesca, tourada, rodeio, vaquejada, circo, briga de cães, rinha de galos. Saibam que não gostamos de brigar, mas vocês nos treinam para isso.
Nossa vida não vale quase nada para vocês. Não nos devotam nenhum respeito, mesmo sabendo que sem nós, a espécie humana seria extinta.
Ah sim, existem alguns humanos especiais, que nos amam e respeitam, e a esses somos muito gratos. Eles nos defendem e até criaram alguns direitos para nós. Mas são discriminados pelos outros que os chamam de tolos defensores de desprezíveis irracionais.
Só que o mundinho de vocês, ao invés de melhorar, está cada vez pior. Há brigas e disputas em jogos sujos e violentos. Surgem milhares de inventos a cada ano, aparelhos eletrônicos, máquinas sofisticadas que fazem de tudo e trabalham por vocês. Conquistaram até o espaço, mas ainda não conseguiram ter paz e nem sentir a verdadeira felicidade. Tudo tem um preço, e o deus que cultuam e buscam pela vida toda, até morrem por ele, tem o esquisito nome de “dinheiro”. Seus corações se embrutecem cada dia mais. Se entopem de nicotina, de drogas, de bebidas e nada os satisfaz. A fome, dor e miséria dos outros não incomodam vocês. Entorpecidos, na selva de concreto e plástico que criaram, cercados de grades e cadeados, parecem zumbis. O medo e a violência imperam. 
Perdoem-nos, mas na nossa ignorância animal, sentimos que a felicidade está nas coisas simples que vocês foram esquecendo ao longo da sua evolução na terra. E seus olhos ambiciosos já não mais enxergam um nascer do sol, a beleza das flores e nem sentem o seu inebriante perfume. Não vêem o brilho da lua e das estrelas e não se contaminam com a alegria das crianças. Acham tudo isso perda de tempo e vão extinguindo diversas espécies de animais, derrubando árvores, poluindo as águas que ainda restam límpidas e, principalmente, vão se esquecendo do verdadeiro significado do verbo amar.
E a paz só brota no coração de quem ama.
Nós, irracionais, não precisamos do seu deus de papel, e sim do Deus que vocês esqueceram.             Por isso, apesar de tudo, somos mais felizes que vocês. Talvez seja esse o grande segredo e o caminho da sonhada paz que os homens tanto procuram... Assinado: Os animais.


Oração dos Animais

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Morcegos não são malvados


MORCEGOS NÃO SÃO MALVADOS 
por Martha Follain

Apesar de tudo que dizem contra eles por causa de filmes que os associaram a seres folclóricos noturnos (os vampiros), morcegos são animais extraordinários, importantes e úteis na natureza.  Enquanto o conde Drácula aterroriza o imaginário mundial, há  um super-herói inspirado no morcego que é o Batman, símbolo de generosidade, solidariedade e justiça.
Morcegos são sagrados em Tonga (Oceania – Polinésia) e na África Ocidental. Representam longevidade e felicidade na China, Polônia, Macedônia e Arábia Saudita. Em alguns países asiáticos consome-se morcegos, e esse  consumo  vem sendo proibido pelas autoridades – por causa da ameaça à existência de certas espécies,  embora ainda sejam apreciados na culinária tradicional.
 Etimologicamente, a palavra “morcego” vem do latim “mure”, significando “rato cego”, (os morcegos não enxergam muito bem, mas  não são cegos e  possuem excelentes paladar, audição e olfato) e  são os únicos mamíferos que voam. Podem voar a 50 km/h e até o século XIX pensava-se que eram aves.
Dependendo da espécie, sua gestação dura de 2 a 7 meses e a maioria das  espécies tem apenas 1 filhote por gestação e de 1 a 2 gestações por ano. Os filhotes se tornam independentes aos 4 meses e com 2 anos estão sexualmente maduros, aptos a procriarem.
Desenho de asa de morcego.


As asas dos morcegos são formadas por 5 ossos alongados  com uma membrana entre eles. Muitas espécies também possuem uma membrana nos membros posteriores e cauda. No verão eles expandem suas asas para baixar a temperatura do corpo e no inverno se enrolam nas mesmas, como se fossem um casaco. As cores de seu pelo curto podem variar muito: preta, cinzenta, bege, marrom, branca, vermelha e amarela. Morcegos também podem se mover no chão, mas desajeitadamente. Vivem de 4 a 30 anos dependendo da espécie.
Segundo a classificação tradicional, morcegos pertencem à ordem dos quirópteros com duas subordens: a dos morcegos propriamente ditos e a das raposas voadoras, e há 1100 espécies (140 delas vivem no Brasil, sendo que 125 na Floresta Amazônica), que podem ter uma envergadura  de 3 cm a 2 m. Mas essa classificação vem sendo alterada. São animais noturnos, com exceção do subgrupo raposas voadoras, que inclui muitas espécies diurnas.
A origem desses animais não é muito conhecida, pois seus ossos pequenos e frágeis não resultam em bons fósseis, quebrando-se com facilidade. Os morcegos mais antigos foram encontrados há cerca de 50 milhões de anos.
Vivem em quaisquer ambientes, menos nos polos. Preferem habitar locais úmidos e escuros como cavernas e descansam pendurados de cabeça para baixo. Quando um grupo de morcegos sai de uma caverna, vira sempre à esquerda, não se sabe porque.
Apesar de 70% dos morcegos serem insetívoros, eles possuem a dieta mais variada entre os mamíferos, podendo consumir frutas, folhas, polen, sementes, peixes, pequenos vertebrados e até sangue. Somente 3 espécies se alimentam exclusivamente de sangue – são os chamados hematófagos e são encontrados unicamente na América Central e América do Sul. Em torno dos hematófagos é que surgiram lendas sobre “vampiros”. Mas esses morcegos nem sugam – eles cortam superficialmente a pele de suas presas com seus dentes afiados e lambem o sangue que escorre. Os hematófagos possuem um sentido chamado “termopercepção”, que permite que eles localizem vasos sanguíneos mais superficiais, tornando a mordida menos profunda e menos dolorida, com menor risco da presa acordar ou perceber o ataque. Ao contrário do que se pensa, morcegos não possuem anestésicos na saliva – o que  produzem é um anticoagulante, que mantém a ferida aberta por mais tempo, permitindo que se alimentem durante um intervalo maior.
Os morcegos possuem um sonar próprio, que é o sentido da ecolocalização, biossonar ou orientação por ecos para se locomoverem no escuro, utilizado para buscar alimentação, comunicação e orientação. Emitem ultrassons pela boca e narinas, sons de altas frequências, acima de 70 mil khz, que são inaudíveis para seres humanos (humanos captam sons em frequências de 20 khz a 20 mil khz). Essas ondas atingem obstáculos e voltam para os morcegos na forma de ecos – eles percebem os ecos e podem localizar um obstáculo ou  um inseto em vôo. Esse sistema acústico é muito útil aos morcegos, pois necessitam se orientar à noite e em ambientes como as cavernas que são bem escuras. Mas morcegos frugívoros também contam com esse sentido, que os ajuda a localizar frutos e flores, além do reconhecimento de outros indivíduos da mesma espécie. Os morcegos têm sido estudados para desenvolvimento de aparelhos de sonar e ultrassons. Golfinhos e baleias também possuem esse sistema de ecolocalização.
Morcegos podem ser predados por corujas, falcões, algumas espécies de sapos e lacraias, gambás, cobras, e há registro de predação de morcegos menores por bem te vis. Mas um grande problema para eles são os parasitas:  pulgas e  carrapatos. Também podem sofrer infestação por fungos nas asas, o que os impede de voar.
Como a maior parte dos morcegos é insetívora, eles possuem uma substancial importância como predadores de pequenos roedores e insetos, mantendo essas populações controladas, impedindo que virem pragas. Um morcego marrom pode comer em 1 hora cerca de 900 insetos do tamanho de um mosquito. Morcegos também são importantes por seu guano,  pela polinização e dispersão de sementes que executam.
Guano é a acumulação dos excrementos de uma colônia de morcegos (ou aves), rico em fosfato e nitrogênio, sendo portanto, excelente adubo natural. O guano foi muito utilizado, e ainda é, mesmo depois  da criação de adubos industriais. Mas deve-se tomar cuidado com seu manuseio, pois  pode conter fungos causadores da histoplasmose, que é uma micose que ataca os órgãos internos causada por inalação.  O guano de morcegos sustenta muitos ecossistemas, já que é a principal fonte de nutrientes em uma caverna.
Na polinização os morcegos, assim como abelhas e beija flores,  visitam flores para consumir o néctar, e levam o pólen de uma flor a outra da mesma espécie, ajudando assim na reprodução dessas flores. Mas eles não só polinizam como também dispersam sementes, quando carregam os frutos que comem. Dessa forma podem transportar as sementes por grandes distâncias, ajudando na reprodução de plantas e colonização de áreas. Um único morcego pode transportar mais de 500 sementes em uma noite, garantindo a sobrevivência de muitas florestas e regeneração de florestas degradadas.
No Brasil os morcegos são espécies silvestres, sendo portanto, protegidos pela Lei de Proteção à Fauna, Lei 5197/67, sendo proibidas sua caça, perseguição ou destruição. Esses atos constituem crimes - Art. 1º. Os animais de quaisquer espécies, em qualquer fase do seu desenvolvimento e que vivem naturalmente fora do cativeiro, constituindo a fauna silvestre, bem como seus ninhos, abrigos e criadouros naturais são propriedades do Estado, sendo proibida a sua utilização, perseguição, destruição, caça ou apanha.
São também protegidos pela Lei Contra Crimes Ambientais, Lei Federal  9605 / 98 que proíbe a utilização, perseguição, destruição e caça de animais silvestres e prevê pena de prisão de 6 meses a 1 ano, além de multa para os infratores.
Morcegos são animais muito importantes, movimentando a cadeia alimentar  e contribuindo decisivamente para o equilíbrio ambiental. Infelizmente, já há 8 espécies na lista de animais ameaçados de extinção do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (IBAMA). A preservação dos morcegos é vital para a preservação de florestas, e são necessários esclarecimentos e educação da  população assim como campanhas preservacionistas.
Um fato alarmista, controvertido e mal entendido é a transmissão da raiva por morcegos a seres humanos. Sim, os cientistas afirmam que a maioria dos casos de transmissão dessa doença é causada por mordidas de morcegos. Os transmissores são os hematófagos. Mas a maioria dos morcegos não está contaminada com a raiva, e os animais portadores são identificáveis, pois perdem a capacidade de voar,  ficam desorientados, agressivos, com tremores, descoordenação motora, contrações musculares, o que faz com que possam entrar em contato com humanos. Claro está que deve-se evitar a manipulação e tê-los nos locais onde se vive, cuidados esses que devem ser aplicados em relação a qualquer animal silvestre. Caso o morcego tenha atacado alguém, a pessoa deve procurar um hospital ou o centro de saúde mais próximo, e o morcego deve ser capturado e enviado imediatamente ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), que orientará o indivíduo. Mesmo que o morcego tenha morrido, deve ser encaminhado ao CCZ. Um dado curioso é que, nos últimos 50 anos menos de 10 pessoas contraíram raiva de morcegos, na América do Norte.
Morcego livre O Projeto Morcego Livre alerta:
“O morcego só morde para se defender. Ele tem muito mais medo de você do que você dele, pode ter certeza. Nunca toque num morcego principalmente se ele estiver no chão e parecer machucado. Em caso de mordida ou mesmo um arranhado por morcegos faça o seguinte:
- lave o local com bastante água e sabão:
- não mate nem jogue fora o animal;
- procure orientação médica numa unidade de saúde mais próxima de sua casa imediatamente;
- Ligue para o Laboratório de Manejo de Fauna, CCZ,  para buscarem o animal, mesmo que ele esteja morto. Isso é muito importante para você e para toda a comunidade, pois o morcego tem que ser examinado.
NUNCA PEGUE UM MORCEGO - DEIXE O BICHO EM PAZ, ELE SÓ VAI MORDER PARA SE DEFENDER”.
Texto meramente informativo. Procure sempre orientação médica, veterinária e de especialistas.





  Referências:
- William Stutz ( veterinário da Secretária de Saúde de Uberlândia e coordenador do Projeto Morcego Livre) e Marco A. R. de Mello (biólogo e mestre em Ecologia).


TEXTO REGISTRADO NA BIBLIOTECA NACIONAL – DIREITOS AUTORAIS – Reprodução permitida, desde que, com todos os créditos da autora e de seu trabalho.
Martha Follain: Formação em Direito, Neurolinguística, Hipnose e Regressão. Terapia Floral de Bach, Aromaterapia, Terapia Floral de Minas, Fitoterapia Brasileira, Cromoterapia, Cristaloterapia, Terapia Ortomolecular, Bioeletrografia, Terapia de Integração Craniossacral - para animais humanos e animais não humanos. Consultora da “Phytoterápica”. Atendimentos e cursos - CRTH 0243