Sou vegetariana por amor aos animais

Sou vegetariana por amor aos animais
COLHER OU MATAR, a escolha é sua
"Se os matadouros tivessem paredes de vidro
todos seriam vegetarianos."

(Paul e Linda Mc Cartney)



Seguidores

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

ÔBA! Mais um PL contra Rodeios - Deputado Feliciano Filho

Primeiro foi o PL 2086/2011 do Deputado Federal Ricardo Trípoli e agora o PL 825 de 2011 do Feliciano Filho, os dois contra Rodeios !!

VAMOS EM FRENTE !!

Abaixo-assinado contra rodeios clique aqui
O deputado estadual Feliciano Filho, PV - São Paulo, protocolou no último dia 23 de Agosto o projeto de lei 825 de 2011, que proíbe os atos de maus tratos cometidos contra animais nos rodeios, Festas de Peão e outros eventos do gênero.

A norma proíbe ainda a realização de práticas comprovadamente lesivas aos animais como: Prova do Laço ao Bezerro, Prova do Laço em Dupla (“calf roping” e “team roping”) ou Derrubadas (bulldog ou bulldogging), o uso do sedém, estocadas e choques elétricos, e o rodeio mirim.

O descumprimento da lei acarretará, à entidade promotora do evento, o pagamento de multa no valor de R$ 875.000,00, por animal, dobrando na reincidência até  a suspensão definitiva da realização do evento, e ao peão ou qualquer outro que tenha cometido a infração, a multa no valor de R$ 35.000,00. No caso de morte do animal a multa para a entidade promotora do evento é de  R$ 1.750.000,00.

Segundo estimativas cerca de 70% dos freqüentadores deste tipo de evento não assistem  às provas com animais. Sua participação se restringe  aos shows de artistas, às festas, à diversão e ao entretenimento.

Na justificativa Feliciano cita o recente Acórdão do desembargador Roberto Nalini , do Tribunal de Justiça de São Paulo:

“E é evidente que os animais utilizados em rodeios estão a reagir contra o sofrimento imposto pela utilização de instrumentos como esporas, cordas e sedém. A só circunstância dos animais escoicearem, pularem, esbravejarem, como forma de reagir aos estímulos a que são submetidos, comprova que não estão na arena a se divertir, mas sim sofrendo indescritível dor.”
Apelação n.º 0013772-21.2007.8.26.0152

Bem como o estudo intitulado "Espetáculos Públicos e Exibição de Animais" da promotora de justiça Vania Maria Tuglio.

 "os animais utilizados em rodeios, na sua maioria, são mansos e precisam ser espicaçados e atormentados para demonstrar uma selvageria que não possuem, mas que na verdade é expressão de desespero e dor. Para falsear a realidade e demonstrar um espírito violento inexistente, os peões utilizam-se de vários artifícios que, atrelados aos animais ou ao peão que os montam, ou não, causam dor e desconforto aos bichos, revelando cruel e intolerável insensibilidade humana.”
No dia 19 de Agosto de 2011, um bezerro foi sacrificado após ter sua coluna  quebrada em uma prova de arena, denominada Bulldog,  da 56ª Festa de Peão de Boiadeiro de Barretos, interior de São Paulo.

“Não podemos continuar permitindo que os animais sofram para a diversão humana. Nossa Legislação Federal considera crime os atos de maus tratos a animais, e nossa Constituição impõe ao Poder Público o dever de protegê-los e preservá-los de atos que os submetam à crueldade.

E não são apenas os animais que sofrem nestes eventos. Inúmeros são os casos de peões que são feridos e mortos nestas “festas”, da mesma forma, não é novidade o fato de que alguns animais desesperados invadem as arquibancadas colocando também em risco a vida das pessoas que foram lá para assistir.

Não somos contra a Festa de Rodeio, ou Festa de Peão, queremos garantir que animais não sofram nestes eventos, bem como proteger a vida das pessoas que participam do mesmo.

A “Festa” com música, diversão, entretenimento, praças de alimentação, etc. podem e devem continuar",
diz Feliciano Filho

Veja a íntegra do projeto de lei, aqui

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Touro trava as patas em plena prova no rodeio de Barretos

As duas patas traseiras de um touro travaram na noite deste sábado (27) durante o Barretos International Rodeo Rodeio. O público na noite era estimado em 50 mil pessoas.
O caso aconteceu durante a montaria do peão James Willian Marris. O touro deu cerca de três pulos e caiu com as patas traseiras no chão, de acordo com testemunhas.
O animal tentava se levantar, mas estava com as patas paralisadas e saiu da arena se arrastando pelas patas dianteiras
Já não bastasse, na semana passada, no mesmo rodeio, um bezerro ter o pescoço torcido e a coluna lesionada tendo de ser sacrificado.
E os organizadosres continuam afirmando que não existem maus tratos...
leia notícia na íntegra aqui:
FOLHA DE SÃO PAULO

Parecer Jurídico sobre maus tratos em rodeios elaborado pela advogada Renata de Freitas Martins

sábado, 27 de agosto de 2011

ARTISTA PLÁSTICO PINTA MURO EM PROTESTO CONTRA VIOLÊNCIA EM RODEIO


O artista plástico Eduardo Kobra prepara, nesta quinta (25) e sexta-feira (26), um novo trabalho de seu projeto "Greenpincel", no qual protesta contra a violência.

O muro "Sem Rodeios", que lembra o caso do peão que matou um bezerro em Barretos, está sendo pintado na avenida Brigadeiro Faria Lima, 324 (zona oeste de São Paulo).
"Esse tipo de rodeio tem que acabar", afirma o artista. O painel tem 4,5m por 12m.

fonte : Jornal Folha de São Paulo

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

RODEIO INFANTIL - Ensinando a maltratar animais desde cedo


Rodeio Infantil
(clique e veja o vídeo)

Uma judiação ensinar as crianças a serem cruéis desde tenra idade.
Notem no vídeo que o menino dá um chute no carneiro quando este cai.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O espetáculo da covardia de Barretos, ao menos gerou resultados positivos

Sob pressão dos internautas, do facebook, twitter, blogs, orkut, sites, emails, houve movimento intenso nas redes sociais em repúdio ao ato covarde, quando um bezerro teve o pescoço torcido numa porva do rodeio de Barretos e ficou tetraplégico diante da plateia. Foi levado carregado para o abate. 
Gerou frutos, pois o deputado Ricardo Tripoli já apresentou ontem,  terça-feira, um projeto de lei que dispõe sobre a proibição de perseguições seguidas de laçadas e derrubadas de animal, em rodeios ou eventos similares, o que não deixa de ser uma vitória contra a crueldade.
O projeto de lei nº 2086/2011, apresentado pelo parlamentar paulista nesta terça-feira, considera infrator o responsável consignado na licença, ou alvará, que autorizou a realização do evento em que foram executadas as práticas contra os animais, bem como a autoridade, agente ou servidor que concedeu alvará ou licença ao evento. A infração implicará interdição do  evento e multa de R$ 30.000,00 (trinta mil reais) , dobrada em caso de reincidência
(clique aqui para conhecer o projeto)

Covardia contra um animal vulnerável
prova de "coragem" do peão
laçar um animal acuado e assustado
muitas vezes quebrando seus ossos

outras vezes causando rupturas em órgãos vitais

uma violência sem finalidade alguma ( qual seria a finalidade?)

cavalo caído

a pata traseira visivelmente ferida mas é obrigado a continuar



Chega de crueldade! Chega de violar a lei que deveria punir quem realiza atos de crueldade em animais
Lei  de maus tratos 9605/98
Até quando a lei será ignorada?

domingo, 21 de agosto de 2011

Covardia!!!

Aqui começou a covardia

A torção fatal

O peão com ar de vitória
O pobre bebê com a coluna irreversivelmente quebrada
Um bando de covardes levando o bezerrinho para ser abatido pois ficou imprestável para outras provas
Até a UNIMED patrocina? Ao invés de investir dinheiro na saúde da população, patrocina esse espetáculo deprimente
 Matéria na TV Record - "Domingo Espetacular"

Memórias de um boi no matadouro



Ivana Maria França de Negri


Quanta angústia me causa este lugar sinistro. Aqui não existe harmonia e nem paz. Fui criado longe de minha mãe e de meus irmãos desde que nasci. Não sei o significado da palavra liberdade e nunca soube o que é amor. Encheram-me de injeções, marcaram meu couro com ferro em brasas, cortaram meus chifres e me castraram.
A cena que meus olhos vêem é horrenda: meus irmãos bois sendo conduzidos por estreito corredor, sendo atiçados por meio de lancetadas e choques elétricos. Desesperados, acuados, pressentindo a iminência da morte e apavorados com os gritos dos irmãos que os precedem nesse caminho sem volta, querem fugir, mas não há saída.
No funil da morte, são atingidos por vários golpes violentos de marreta na cabeça. Ainda atordoados e sangrando muito, vão sendo pendurados em afiados ganchos enquanto lhes arrancam o couro e descarnam seus ossos.
Nestes momentos finais, as cenas que vejo são indescritíveis. Estou aflito e não sei como deter esse holocausto. Sinto um forte odor de sangue, ouço os tristes lamentos de meus irmãos. São inocentes como eu. Não cometeram crime algum, nada fizeram de mal aos seres humanos para que os tratem tão barbaramente.
Sei que os meus irmãos porcos são esfaqueados no coração e têm cortadas as jugulares, enquanto esperneiam e gritam. Meus irmãos carneiros derramam lágrimas que não enternecem o humano que os degola friamente. Minhas irmãs aves têm seus pescoços torcidos, são estranguladas e seus ossos estalam. São dependuradas de cabeça para baixo ainda se debatendo enquanto são mergulhadas em água fervente para que se soltem as penas. As de melhor sorte morrem na hora, outras agonizam e morrem apenas quando caem nos tanques escaldantes.
Engordaram-me até que ficasse inchado de tanta gordura e eu não consigo nem ficar de pé. Planejam tirar a minha pobre vida ainda hoje para comerem minha carne até se empanturrarem. Já os vi colocando os restos mortais dos meus irmãos nos espetos e os cremando numa fogueira. Nessa hora seus olhos quase saltam das órbitas e eles salivam de tanto prazer diante da visão do sangue respingando.
O odor aqui dentro deste matadouro é repugnante, mistura de sangue fresco e de excrementos que os infelizes soltam por medo e dor. Nossos ouvidos são agredidos por berros, sons guturais de aflição extrema diante da violência e da morte iminente. Nós queremos viver!
O homem é o único animal que cria para comer, que se faz amigo dos que devora.
Oh Deus, que criastes os homens e os animais. Despertai a consciência dos que se dizem humanos para que compreendam que somos irmãos e nosso padecimento não é menor que o deles, pois somos seres sensíveis, sofremos e merecemos compaixão.
E eles se auto-proclamam seres de luz, de paz, os únicos racionais e inteligentes da face da terra, criados à imagem e semelhança de Vós. E nós, o que somos?...

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Vegetarianos famosos - Bill Clinton

O ex-presidente americano Bill Clinton foi nomeado Personalidade 2010 pela organização de defesa dos direitos dos animais PETA, por se tornar vegano e promover os benefícios dessa alimentação

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Prêmio Nobel Issac Bashevis Singer - Pelo fim do Holocausto Animal


O vencedor do Prêmio Nobel, Isaac Bashevis Singer (1904-1991), escreveu, em seu livro de maior sucesso,"Enemies", o seguinte:
"Por mais que Herman tivesse testemunhado o abate de animais e peixes, ele sempre tinha o mesmo pensamento: no seu comportamento em relação aos animais, todos os homens são nazistas. A presunção com a qual o homem pode fazer o que quiser com outras espécies exemplifica as teorias racistas mais extremas, a lei do mais forte."
A comparação com o Holocausto é intencional e óbvia. Um grupo de seres vivos angustia nas mãos de outro. Embora alguns possam argumentar que o sofrimento de animais não possa ser comparado ao sofrimento dos judeus e escravos, há, de fato, um paralelo. E para os prisioneiros e vítimas deste assassinato em massa, o seu holocausto está longe do fim.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Família Mac Cartney lança livro de receitas VEGETARIANAS

A Kyle Books se uniu à família McCartney para o lançamento de um livro inspirado na campanha "Segunda Sem Carne", chamado Meat Free Mondays, que apresentará receitas novas, visando incentivar os leitores a criar o hábito de passar um dia vegetariano por semana. "Em muitos aspectos, é uma homenagem de Paul e de seus filhos a Linda McCartney", disse Kyle Cathie, representante da empresa, referindo-se a falecida esposa do astro como uma "pioneira" no vegetarianismo. O livro apresenta "versões atualizadas" de idéias de seus livros de receitas. Ele também inclui toques pessoais, como fotos de família, bem como um prefácio do próprio Paul McCartney.
O trio (Paul, Mary e Stella) também teve participação na escolha das fotografias, no design e na escolha da receita, além de convidar alguns amigos para contribuir. O título inclui cinco receitas de Paul, além de contribuição de outras celebridades, entre as quais Jamie Oliver, Skye Gyngell, Gwyneth Paltrow, Kevin Spacey e Jo Wiley. Um total de 108 receitas.

Kyle Books publica em 29 de outubro, com capa dura, por £19,99.

Livro de Receitas Vegetarianas

sábado, 13 de agosto de 2011

Eles também sabem amar

"Um homem pode viver uma vida saudável sem ter que matar animais para comer; portanto se ele come carne, participa do ato de tirar a vida de uma criatura meramente para saciar seu apetite. E agir dessa maneira é imoral."

Leon Tolstoy

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

BRUTALIDADE HUMANA

(esse olhar quase humano desses porquinhos demonstrando amor...)

No entanto, o homem apenas os enxerga como bacon, linguiça e toucinho.
Às vezes sinto vergonha de pertencer à raça humana...
Há quem sinta prazer em ver essas fotos de matadouros, e existe até quem sinta um prazer mórbido no ato de matar.

http://www.light-catchers.net/festas/tradicoes-madeirenses-matanca-do-porco/

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Faça a sua parte - Divulgue!

Miss Piauí é Vegetariana

Natural de Campo Maior, cidade a noroeste da capital Teresina, a candidata é vegetariana convicta. "Sou vegetariana por três motivos: por mim, pelos animais e pelo meio ambiente", revela Renata, que diz que nunca usaria casacos de pele

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Zoo-ilógico

 
Um orangotango se tornou fumante contumaz em um zoológico da Malásia, segundo organizações ambientalistas. Shirley, um orangotango fêmea de 25 anos, disputa com seu parceiro as pontas de cigarro jogadas por visitantes e ambos vivem em situação precária no Johor Zoo, de acordo com testemunhas
 Nina Rosa Jacob

O lógico seria mostrar os animais como eles são; seu comportamento, sua vida em família, seus hábitos, sua alimentação, seus relacionamentos, enfim: animais de verdade. Em liberdade.
Nos zoológicos, vemos um arremedo triste de animais deprimidos e solitários, expostos à curiosidade humana, sem entender o que estão fazendo ali.
Quem visita um zoológico com a intenção de conhecer os animais que lá estão, e pensa que está vendo um leão, um elefante, está enganado, está iludido. Aquele “elefante” não é realmente um elefante. Ele é um ser que já perdeu o espírito de sua espécie, que fica andando para lá e para cá, aborrecido, sozinho, sem saber por que está preso ali, uma vida inteira!!!
Na natureza, anda em média 40 km por dia, é gregário, vive em família, busca seu alimento para sobrevivência, refresca sua pele nos riachos, brinca, interage com familiares, vive vida de elefante. De verdade.
Sempre penso que os zoológicos deveriam ser virtuais: tecnologia do século XXI, com sons e imagens em 3ª (ou 4ª) dimensão, imagens de animais verdadeiros, como eles são; como vivem, como conversam, como interagem, em seus habitats, vivendo sua vida natural… isso enquanto há tempo, porque cada vez temos menos ambientes naturais, no nosso planeta.
Um zoolólgico ético, sem animais aprisionados, sem comércio de animais, sem toda a crueldade e violência que envolvem capturas, privação de liberdade, transportes, transferências. Sem solidão involuntária, sem sofrimento imposto, sem depressão provocada, sem ilusão.
Será preciso ter sofrido na própria pele o sequestro, os maus-tratos, o encarceramento e a opressão para se pôr no lugar do outro?
Colunista
Nina Rosa Jacob
Nina Rosa Jacob é ativista em defesa dos direitos dos animais, vegana, fundadora e presidente do Instituto Nina Rosa – projetos por amor à vida, palestrante, produtora de vídeos e editora de livros pela valorização da vida animal.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

CAÇADA ILEGAL - POESIA


onça  caça ilegal - Fonte IBAMA

O homem chega sorrateiro
no paraíso do Criador
trazendo consigo o cheiro da morte.

Invade o sagrado santuário
ceifando vidas tão belas
por sádico e incompreensível prazer.

Ávido por sangue,
seu rifle ecoa pelas matas.
Feridas de morte, agonizam as criaturas.

Suas carcaças têm alto preço,
mas suas vidas nada valem,
apenas viram troféus.

Que triste visão dantesca!
E o bicho-homem chega a ser mais feroz
do que a própria fera…

sábado, 6 de agosto de 2011

"Ah! Mas os vegetais são seres vivos também!"

Sempre escuto essa frase quando alguém quer argumentar contra o Vegetarianismo.
Mas é um argumento muito falho. Existe uma diferença enorme entre matar um animal e colher uma fruta ou legume.
Se você corta um galho de uma planta, nasce outro no lugar. Se cortar uma pata de um animal, não nasce outra.
Plantas não têm rosto, não sangram, não têm sistema nervoso que causa a dor. Já os animais, têm expressões faciais como os humanos, têm sistema nervoso muito semelhante ao nosso, sentem muita dor ao serem machucados.
Será mesmo que é igual o ato de colher um maçã da árvore ( se você não a colher, ela vai cair de madura de qualquer forma) e cortar a jugular de um carneiro com uma faca afiada?
Quando você colhe a maçã, a árvore não morre e nem sofre, mas quando corta a garganta de uma animal ele sente dor e revolta ao morrer. E toda essa negatividade da hora do abate, a revolta do animal que não quer morrer,  passa para você ao comer a carne. E seu corpo e alma ficam impregnados de fluídos negativos.
Utilizar esse argumento é apenas uma maneira de se livrar da culpa. Pense nisso...

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Projeto de Lei proíbe patrocínio a eventos em que haja abuso de animais


Entre no site e participe da votação: 
Gustavo Lima
Lucena critica patrocínio a rodeios e circos que maltratam animais.
A Câmara analisa o Projeto de Lei 634/11, do deputado Roberto de Lucena (PV-SP), que proíbe os órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta de conceder qualquer tipo de benefício financeiro ou vantagem de qualquer natureza, especialmente patrocínio, a entidades que promovam eventos em que haja abuso, maus-tratos, ferimento, mutilação, sacrifício ou qualquer tipo de sofrimento de animais.

Segundo o deputado, há um contrassenso na legislação atual. Ao mesmo tempo em que pune maus-tratos contra animais, não impede que uma empresa pública patrocine eventos que promovam essa prática.

“Não raro, vemos eventos em que animais são submetidos a sofrimentos, como no caso de alguns rodeios e eventos circenses, patrocinados por entidades da administração pública indireta. Não podemos admitir tamanha barbárie contra os animais. Não é razoável que sejam submetidos a sofrimento de qualquer espécie. Defendemos que sejam bem tratados, alimentados, respeitados e protegidos por seus donos”, disse o deputado.

A proposta é idêntica ao PL 2789/03, do ex-deputado Elimar Máximo Damasceno (SP), foi arquivado no fim da legislatura passada, pelo fato de sua tramitação não ter sido concluída.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

PL-634/2011
Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'

O amor faz milagres!

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Mulher pode ser punida por alimentar cão abandonado

Clique aqui para ver o vídeo

A prefeitura de Monte Aprazível abriu processo para investigar uma funcionária do posto de saúde da cidade por alimentar um cão de rua


Helena Brait, TV Record Rio Preto 
Isso porque ela alimenta um animal de rua na praça que fica em frente ao posto, o problema é que o ato de solidariedade pode colocar em risco a saúde de quem passa por ali.

A prefeitura realmente ainda não tem um lugar para abrigar esses animais de rua, mas disse que já está estudando a criação de um centro de zoonoses.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Que decepção, Deborah Bloch!



Que decepção, Déborah Bloch de casaco de pele, se achando sofisticada por isso. Ator realmente é uma categoria com a qual não dá para contar. Eles vivem em função do seu ego e do seu narcisismo, são escravos disso, fazem qualquer coisa para dizer: “Olhem para mim! Olhem para mim!Eu sou um desesperado por atenção!” IstoÉ Gente? Isto é cruel!